terça-feira, 4 de maio de 2010

Por que a Argentina vive o futebol e o Brasil não?

Se você é nacionalista, nutrindo ódio dos argentinos, não leia este texto, pois provavelmente não irá gostar do seu conteúdo. Mas se você souber entender que os “hermanos” são melhores que nós em certos aspectos e nós somos melhores que eles em certos pontos, veja esse vídeo introdutório e se arrepie.



A nação argentina sabe viver o futebol, sabe amar esse esporte acima de tudo, sabe torcer com um frenesi enlouquecedor que move 11 seres humanos dentro de um gramado, sabe empurrar uma seleção ou agremiação de uma maneira assustadora para os adversários.

Este vídeo publicitário sobre a Copa do Mundo e a mítica da Argentina relata o sentimento de nossos vizinhos para o evento mais importante do país. E nós? O que fazemos? Fazemos uma propaganda de apoio insignificante de uma tartaruga ou caranguejo brincando com uma latinha de cerveja.

Isso não emociona ninguém e não trás nenhum sentimento, somente vende uma ideologia “engraçada” imposta por uma marca. A empresa midiática criadora do comercial argentino deve ter, com toda certeza, seus interesses ideológicos, mas passando um anseio que mexe com o subconsciente das pessoas, de tal maneira que o consciente logo percebe toda a mensagem.



A mídia brasileira não sabe valorizar e explorar o melhor das massas, apenas se limitando a vender seus produtos de forma esdrúxula, além de exagerar em uma rivalidade que ultimamente se limita as datas dos jogos entre os dois países, tanto no âmbito de clubes ou seleções, pois muitos jogadores atuam nos mesmos times no velho continente e são amigos.

O último episódio ridículo aconteceu na época da segunda semifinal da Champions League, entre Barcelona e Internazionale de Milão, onde a RGT extrapolou na rivalidade, tanto nos telejornais, web e na transmissão do jogo, mostrando um duelo entre Lúcio (Brasil) e Messi (Argentina), sendo que isso pouco importava no enredo desse grande clássico, além do narrador enfatizar o “estranhismo” de brasileiros e argentinos jogando lado-a-lado.

Um TCC sobre como a mídia influência essa realidade foi realizado com entrevista à jornalista dos dois lados da moeda. Veja um techo:



No meio de toda essa bagunça gerada pela mídia, a torcida brasileira vem tentando copiar a “inchada hermana”, porém nunca conseguirá. O “Es cultural” que um ator comenta sobre os “inchas” retrata o modo como nossos vizinho são únicos neste quesito, mesmo com toda a devoção dos ingleses, inventores do futebol.


A “inchada” vai para “El Mundial” incentivada com os dizeres: “Es increible. Tiran um millón de papelitos, cada vez que sale el equipo. Es cultural” e “Allá, no importa si van ganando o perdiendo, los tipo cantan igual”.

E nós com meros comerciais que ostentam a marca e não a nação.

7 comentários:

Obede Jr. disse...

Antes de tudo, parabéns pelo texto, Mário! Sabia que você seria uma excelente aquisição para a Banca! uhu

Quanto ao conteúdo, é nítido e claro que na Argentina o futebol vive, e sempre viverá. Los hinchas são assim, amam el futbol e sempre amarão.

Aqui estão nos elitizando e europeando nosso futebol, por isso repito e digo: En el Mundial, serei Messi, serei Cabanãs, serei Valdívia e Loco Abreu, mas nunca Felipe Melo!
Bamos, hermanos!

Bruno Diniz disse...

Na Argentina o futebol é vivido pq não existem os Obedes da vida, que torcem contra. Não existem os babacas que acham que a grama do vizinho é sempre mais verde.

Os argentinos tem orgulho de serem argentinos, mesmo sabendo que o país deles é uma bosta, que eles dependem do Brasil.

O problema do brasileiro é o complexo de vira-lata de não se respeitarem, de não acreditarem em si mesmos.

Não serei Messi nem Cabañas, mto menos Valdívia, tampouco Loco Abreu.

Sou e sempre serei Brasil. Brasil da raça, do comprometimento, do futebol bem jogado. Brasil do amor de Lúcio, da gana de Maicon, do talento de Kaká, da genialidade de Robinho e o poder de decisão de Luís Fabiano.

Obede Jr. disse...

Eu torço contra sim, ainda mais quando não é merecido torcer a favor!

Eu tenho orgulho de ser brasileiro, não torcer pela Seleção, que é diferente de TODAS, não me faz menos patriótico. Aliás, me faz mais, se você se contenta com esse futebolzinho que estamos jogando, azar o seu, eu SEI que somos mais, muuuito mais!

Eu sou sempre Brasil, mas nesta Copa, prefiro que vença um hermano, porque não a merecemos vencer!

Bruno Diniz disse...

Esse futebolzinho q estamos jogando é o futebolzinho da raça e da vontade que vc gosta de ver no seu time e nas outras seleções.

É o futebolzinho da vontade de virar um jogo perdido como na final da Copa das Conderações. Futebolzinho que goleia Itália, Portugal e a merda da Argentina, na casa deles.

A Seleção desse ano é diferente. E é diferente pq tem um cara vencedor e lutador no comando. A história do Dunga vale por si só. Vai calar a boca dos otários mais uma vez.

Sou brasileiro e torço para a Seleção. A única q leva o S maiúsculo à frente.

Obede Jr. disse...

Não vou discutir de novo com você! Quer ser campeão do mundo seja.. oq vai mudar para o Brasil? Perdendo ou ganhando continuaremos sendo os melhores..

Eu exijo raça e talento, exijo um time ofensivo e que meta bala nos adversários.. esse futebol de vamos vencer independente de qualquer coisa não me agrada, é futebol de clube (que eu entendo, apesar de não apoiar) e não de Seleção..

Ageu Totti disse...

Parabéns!!!

O texto ficou muito bom!!!

Nossos hermanos, por incrível que pareça, são mais apaixonados pelo futebol!!

João de Andrade Neto disse...

A Argentina vive o futebol e o Brasil é que é o país do futebol. Estranho, né?

Realmente, o gramado do outro é sempre mais verde, vê-se todas as glórias, mas esquecemos de ver as dificuldades.

O Brasil é o país do futebol. A Argentina pode, se quiser, pleitear a vaga de 'o país da torcida'.

E há controvérsias do que é o certo. Cantar o jogo todo, independente do que aconteça no jogo, ou ser crítico a ponto de saber reconhecer um mal futebol e reclamar por isso. Há quem defenda os dois pontos de vista!

Mas de qualquer forma, são duas escolas futebolísticas diferentes, mas com imensa qualidade. As maiores do mundo, sem dúvidas!

Eu nunca torci fervorosamente pela Seleção. Não tenho envolvimento com Dunga, Júlio César, Felipe Mello... assim como não tenho com Mascherano, Messi e Samuel.

Gosto de Copa do Mundo porque amo o futebol, vejo todos os jogos possíveis e tanto faz se ganha o Brasil ou a Argentina! O resto, melhor torcida ou que seja, é acessório.

Time por time, acho que a Argentina é mais favorita que o Brasil. Mas aqui no Brasil a paixão pelo futebol é, no mínimo, muito maior que no país hermanos.

As críticas, se feitas, devem ser direcionadas à mídia, pelo pouco uso desta paixão!