segunda-feira, 12 de maio de 2008

Começou o campeonato mais difícil do planeta!



Começou mais um Campeonato Brasileiro, a disputa mais emocionante e importante do nosso futebol terra-brasilis. A edição 2008 começou meio morna, mas o campeonato desse ano promete ser o mais disputado de todos os tempos.

Na primeira rodada, alguns times jogaram com a cabeça na Libertadores, outros com a cabeça na Copa do Brasil, outros sem cabeça, foi uma beleza só. A Banca do Futebol não pôde acompanhar todos os jogos, mas analisamos com base em comentários embasados e pressupostos consisos e precisos. Vamos aos jogos:

São Paulo (14º) 0 x 1 Grêmio (6º)

No sábado, o atual bi-campeão nacional, São Paulo, enfrentou um enfraquecido mais sempre grande Grêmio, e pensando mais no Fluminense, foi derrotado por 1 a 0. O jogo foi frio como a tarde-noite paulista. No entanto, nada para se desesperar, do lado paulista, e nem para se animar do lado gaúcho.

Vitória (18º) 0 x 2 Cruzeiro (2º)

Jogo de campeões estaduais. O Vitória marcava seu retorno à elite do País, e o Cruzeiro jogava pra esquecer a eliminação pro Boca. Com um time meia-boca, a equipe baiana não foi páreo para o Cruzeiro, que se começar bem e acumulando vitórias, se torna ainda mais favorito. Já o Vitória, precisa melhorar, senão desce de novo.

Naútico (5º) 2 x 1 Goiás (13º)

Seria um exagero chamar essa partida de jogo dos desesperados, mas não será surpresa se ambos se encontrarem rebaixados depois da última rodada. O Náutico tem mais pinta que pode melhorar, já o time esmeraldino parece ser o pior Goiás em muitos anos. Veremos. Os gols dos pernambucanos foram marcados por Geraldo, que se na habilidade não lembra em nada, mas nada mesmo, o mestre Garrincha, nas pernas tortas é irmão gêmeo.

No domingo:

Coritiba (2º) 2 x 0 Palmeiras (18º)

Mais um confronte de campeões estaduais. No retorno à elite, o time paranaense mostrou que não quer ser figurante e bateu o favorito Palmeiras, que há de perceber que não vai ganhar moleza em nenhum jogo. Destaque para Michael (lê-se Michel), que, corinthiano confesso, veio do Guará e fez um gol e deu assistência em sua estréia no Coxa. Esse gosta de jogar bem contra o Palmeiras.

Botafogo (2º) 2 x 0 Sport (18º)

Ambas as equipes pensam mais na Copa do Brasil. Mas o Botafogo pensou menos e garantiu a vitória contra o não-tão-bom-fora-de-casa-como-em-casa Sport Recife. Dois times que, se não têm folêgo para chegarem no topo, brigarão por uma sul-americana e quisá uma vaga na Libertadores.

Internacional (6º) 1 x 0 Vasco (14º)

Dois times que também jogam no meio da semana pela Copa do Brasil. O Inter com reservas bateu o Vasco, sem Edmundo, por 1 a 0 com um gol no começo do jogo. O time carioca parece se acertar e se tudo der certo, pode ficar com uma vaga na Libertadores. Já o Colorado é um dos candidatos ao título.

Ipatinga (14º) 0 x 1 Atlético-PR (6º)

Em seu primeiro jogo de primeira divisão de campeonato brasileiro, o Ipatinga, que já foi rebaixado no campeonato mineiro desse ano, perdeu por 1 a 0 para o médio Atlético-PR. É fortíssimo candidato ao rebaixamento, e quem sabe a saco de pancadas do Brasileirão. Já o Furacão, como diria El Chavo Del Ocho, nem-me-sobe-e-nem-me-desce.

Portuguesa (9º) 5 x 5 Figueirense (9º)

No jogo mais emocionante da rodada, a Lusa (foto) chegou a abrir 5 a 2 no Figueirense, atual campeão catarinense. Mas como tem coisas que só acontece com o Botafogo, tem coisas que também só acontecem com a Portuguesa, e o time paulista cedeu o empate nos acréscimos. Foi uma bela volta à elite, mas que poderia ter sido melhor. Já no lado catarinense, foi empate com saber de vitória e que motiva o time nas próximas rodadas.

Atlético-MG (11º) 0 x 0 Fluminense (11º)

Um com a cabeça na Copa do Brasil, outro pensando no São Paulo e na Libertadores. Esqueceram de ir pra campo no Mineirão e deu nisso, o jogo mais sem graça da primeira rodada.

Flamengo (1º) 3 x 1 Santos (17º)

Depois da tragédia de quarta, o Flamengo enfrentou um Santos reserva e venceu bem por 3 a 1 na estréia de Caio Jr. O Maracanã estava vazio, o que deve ter sido melhor, uma vez que a torcida está muito decepcionada com o time carioca. O Santos se foca na Libertadores, com boas chances de chegar as semi-finais, e o Flamengo busca vencer o Brasileirão novamente depois de 16 anos.

A próxima rodada será no próximo final de semana, confira os jogos:

Sáb, 17/05/2008

Dom, 18/05/2008
18:10 Santos x Ipatinga
18:10 Figueirense x Coritiba

sábado, 10 de maio de 2008

Começa o Brasileirão 2008. Faça suas apostas!

Neste final de semana, começa o Brasileirão 2008. Diferente da maioria dos outros campeonatos nacionais, a disputa começa totalmente sem favoritos e com, no mínimo, 7 equipes com chances de título.

Neste ano, a supremacia do São Paulo, campeão por dois anos consecutivos (2006 e 2007), é colocada à prova. Os campeões estaduais, como Palmeiras, Flamengo e Cruzeiro, surgem como possíveis favoritos.

Quais serão as chances de seu time no Brasileirão deste ano? Confira!

Atlético Mineiro:
Depois do vice-campeonato mineiro, o Galo entra no Brasileiro com um início de reformulação. Com o atual elenco, deve livrar-se do rebaixamento, mas não deve ter grandes aspirações.
Craque: Danilinho (meia)
Briga: Deve lutar para não cair ou, no máximo, por uma vaga na Copa Sul-America. Entre 11º e 15º.

Atlético Paranaense:
Também vice-campeão estadual, o Atlético-PR conta com uma bom elenco e deve fazer uma campanha, no mínimo, razoável. Deve conseguir vaga na Copa Sul-Americana.
Craque: Marcelo Ramos (atacante)
Briga: Vai lutar pela Copa Sul-Americana e, se melhorar o elenco, pode sonhar com Libertadores. Entre: 11º e 15º.

Botafogo:
Outro vice-campeão, o Botafogo entra no Brasileirão com um bom time, mas sem um elenco pronto. Quando as suspensões e lesões iniciarem, podem atrapalhar o Fogão.
Craque: Lúcio Flávio (meia)
Briga: Tentará vaga na Libertadores, mas deve ficar sempre entre os primeiros. Entre 6º e 10º.

Coritiba:
Após conseguir retornar da Série B no ano passado, o Coritiba manteve a boa base do time e já conquistou o campeonato paranaense. Se mantiver os principais jogadores, deverá brigar por uma vaga na Sul-Americana.
Craque: Keirisson (Coritiba)
Briga: Deve beliscar uma vaga na Sul-Americana, mas pode sonhar alto e conseguir uma vaga na Libertadores. Entre: 6º e 10º.

Cruzeiro:
Campeão mineiro, o Cruzeiro entra embalado no Brasileirão e pode lutar pelo título. A disputa deve ser árdua, mas deve figurar entre os primeiros durante todo Brasileirão.
Craque: Wagner (meia)
Briga: Pode chegar a uma vaga na Libertadores, mas está de olho no título. Entre 1º e 5º.

Figueirense:
O título catarinense faz o Figueira entrar no Brasileirão com moral. A realidade, porém, é mais cruel e deve ser um ano difícil para o time catarinense, que deve lutar por vaga na Sul-Americana ou contra o rebaixamento.
Craque: Cleiton Xavier (meia)
Briga: Luta por vaga na Sul-Americana, mas corre risco de rebaixamento. Entre 16º e 20º.

Flamengo:
Após muitos anos, o Flamengo finalmente entra em um Brasileirão com time para lutar pelo título. Com um dos melhores elencos do país e campeão carioca, deve brigar pela ponta.
Craque: Íbson (meia)
Briga: Pelo título. Entre 1º e 5º.

Fluminense:
Após um começo de ano arrasador, o Fluminense teve uma queda no rendimento, mas continua cotado entre os melhores do país. Brigará pelo título ou por vaga na Libertadores.
Craque: Thiago Neves (meia)
Briga: Pode até ser campeão, mas começa o Brasileiro no segundo pelotão. Entre 6º e 10º.

Goiás:
No ano passado, o Goiás escapou do rebaixamento na última rodada, mandando o Corinthians para a Segundona. Este ano, porém, pode não ter a mesma sorte. Será preciso muito mais para permanecer na elite do Brasileirão.
Craque: Paulo Baier (meia)
Briga: Luta para evitar a zona de rebaixamento. Entre 16º e 20º.

Grêmio:
Sem o mesmo brilho de 2007, o Grêmio deve entrar no Brasileirão como coadjuvante. Após o péssimo primeiro semestre, vai ter que melhorar para conseguir mais que uma Sul-Americana ao fim da temporada.
Craque: Roger (meia)
Briga: Deve ter vaga na Sul-Americana, mas pode melhorar e buscar uma vaga na Libertadores. Entre: 11º e 16º.

Internacional:
Campeão gaúcho, o Inter conta com um dos melhores elencos do país e entra para brigar pelo título. Contando com os gols de Nilmar e Fernandão, deve estar entre os primeiros colocados desde o início do torneio.
Craque: Fernandão (atacante)
Briga: Vai buscar o título e deve, no mínimo, conseguir uma vaga para voltar à Libertadores. Entre: 1º e 5º.

Ipatinga:
Modelo de gestão, o Ipatinga iniciou o ano mal e deve ter muitas dificuldades para manter-se na elite do futebol nacional. A tendência é que esteja entre os rebaixados.
Craque: Gerson Magrão (meia)
Briga: Tenta não cair, mas terá uma dura missão pela frente. Entre 16º e 20º.

Náutico:
Um time sempre forte jogando em casa, o Naútico deve lutar pela permanência na primeira divisão e por uma vaga na Copa Sul-Americana, caso consiga melhorar seu elenco.
Craque: Geraldo (meia)
Briga: Evitando o rebaixamento, tenta uma vaga entre os classificados para a Sul-Americana. Entre: 16º e 20º.

Palmeiras:
Após o título paulista, o Palmeiras mostrou que quer fazer de 2008 o seu ano. Tem um elenco muito forte e coeso, além de contar com o melhor treinador do Brasil. Luta pelo título!
Craque: Valdívia (meia)
Briga: Sonha com o título. E é um sonho real, muito possível de acontecer. Entre: 1º e 5º.

Portuguesa:
De volta à elite, a Lusa conta com o bom trabalho de Vagner Benazzi para conseguir uma vaga nas competições sul-americanas. Tem um bom time, mas o elenco ainda precisa ser melhorado.
Craque: Diogo (atacante)
Briga: Se conseguir se firmar, tenta Sul-Americana. Se iniciar mal, deve evitar a zona de rebaixamento. Entre: 11º e 15º.

Santos:
Sem o mesmo bom elenco dos últimos anos, o Santos não deve lutar pelo título em 2008. Apesar disso, deve figurar entre os primeiros e, quem sabe, brigar por uma vaga na Libertadores.
Craque: Kléber Pereira (atacante)
Briga: Por vaga na Libertadores, mas será muito difícil. A realidade seria uma vaga na Copa Sul-Americana. Entre: 6º e 10º.

São Paulo:
O time não brilha como em 2007, quando fez campanha irretocável, mas o São Paulo tem potêncial para brigar pelas primeiras posições e pelo título. Tem um bom elenco e, com algumas contratações, conseguiria um bom time.
Craque: Hernanes (volante)
Briga: Quer o título, mas certamente estará na zona da Libertadores. Entre: 1º e 5º.

Sport:
Muito forte jogando na Ilha do Retiro, o Sport deve ser uma pedra no sapato dos grandes clubes. Se mantiver a boa base, deve conseguir vaga na Sul-Americana e sonhar, mesmo sabendo da improbabilidade, com Libertadores.
Craque: Carlinhos Bala (atacante)
Briga: A realidade é uma vaga na Sul-Americana, mas um bom começo pode trazer sonhos maiores, como a Libertadores. Entre: 6º e 10º.

Vasco:
Com o retorno de Leandro Amaral, o Vasco volta a ter um ótimo ataque, mas que não é acompanhado pelos demais setores. Com algumas contratações, pode até brigar pela Libertadores, mas será difícil.
Craque: Leandro Amaral (atacante)
Briga: Deve ter vaga na Sul-Americana, mas conta com Edmundo e cia para tentar a Libertadores. Entre: 11º e 15º.

Vitória:
De volta à primeira divisão, o Vitória terá grandes dificuldades para manter-se na elite. O elenco não é grande e qualificado o bastante, pelo menos até o momento.
Craque: Rodrigão (atacante)
Briga: Tenta evitar o rebaixamento, mas será um campeonato muito difícil para o time baiano. Entre: 16º e 20º.

sexta-feira, 9 de maio de 2008

A zebra está chegando!

O Santos repetiu o placar do jogo de ida e venceu novamente o Cúcuta (COL) ontem, na Colômbia, por 2x0. Com o placar, o Peixe está nas quartas-de-final da Copa Libertadores.

A partida foi tranqüila para o Santos, que poderia ter vencido por muito mais. O Cúcuta pouco ameaçou e foi presa fácil ao time alvinegro, principalmente após o gol de Kléber Pereira, no fim do primeiro tempo.

No segundo tempo, o Peixe cadenciou ainda mais o jogo e Lima fez o segundo, celando a classificação santista. O próximo adversário do Santos é o América (MEX), algoz do Flamengo na competição.

A chegada do Santos nas quartas-de-final não deixa de ser uma surpresa. No começo da Libertadores, o time era tido como o mais fraco entre os brasileiros, muito atrás dos badalados Fluminense, Flamengo e São Paulo.

Em silêncio, a zebra santista está chegando e pode aprontar ainda mais na Libertadores.

quinta-feira, 8 de maio de 2008

São Paulo é único sobrevivente da 'quarta brava'

O Brasil poderia ter cinco das oito equipes classificadas às quartas-de-final da Libertadores, que seria um feito inédito. E a quarta-feira seria fundamental para isso. Mas não foi um bom dia para o futebol brasileiro.

No Mineirão lotado, o Cruzeiro bem que tentou se impor diante do Boca Juniors (ARG). Mas não adianta, o time argentino está um grau acima dos demais no quesito mata-mata de Libertadores. Sabem jogar fora de casa e venceram novamente por 2x1.

Após a primeira baixa, a grande dúvida da noite era o São Paulo, que precisava ganhar do Nacional (URU) para avançar. O jogo do Tricolor foi aquele já conhecido, sem criatividade, mas sem os cruzamentos de Jorge Wágner, machucado. O estilo de jogo pragmático é a cara do São Paulo na temporada 2008.

Mas nada mais recomendável para uma Libertadores. Após cruzamento, Adriano abriu o placar e o time em nada se alterou. A dificuldade de saída de bola e a falta de criatividade no meio-de-campo continuavam. Mas a boa defesa, liderada pelo brilhante zagueiro Miranda, permanecia intacta.

Após um segundo tempo morno, com emoções controladas pelas defesas sólidas e não tão eficientes ataques, o São Paulo matou o jogo. Dagoberto, que entrou no segundo tempo, fez jogada individual e liquidou a fatura. São Paulo classificado, juntando-se a Fluminense, que classificara-se na terça. Os tricolores, inclusive, se encontram nas quartas-de-final.

No Maracanã, o jogo aparentemente mais tranqüilo. O Flamengo poderia perder para o América (MEX) por até dois gols, após a bela vitória no México. Mas em um jogo histórico, que ficará conhecido como 'Maracanazo mexicano', o Flamengo não se encontrou e perdeu por 3x0, dando 'adeus' ao torneio.

O resultado até parecia um pesadelo de torcedor, daqueles em que o rubro-negro acordaria e pensaria: "Nossa, sonhei que o Flamengo perdia por 3x0. Ainda bem que isso é impossível e foi só sonho". Infelizmente, para os flamenguistas, a má atuação foi real e a eliminação foi doida.

Causas para explicar são muitas, e variam entre a falta de concentração na partida pela despedida de Joel Santana, soberba após a vitória na casa do adversário, além da apatia do time, que parecia não querer jogar (na foto, jogadores lamentam a eliminação).

Foi um resultado inexplicável, que marcará a história da Libertadores. E mais do que isso, mostra que para jogar este torneio é preciso ir muito além do que jogar bonito e fazer a melhor campanha.



terça-feira, 6 de maio de 2008

Carlos Alberto, o remédio para a ressaca

Após a perda do Campeonato Carioca para o Flamengo, o Botafogo foi rápido e anunciou um reforço de peso: o meia Carlos Alberto (foto), ex-São Paulo.

O atleta passa, então, por uma situação diferente em sua carreira. Ele, que sempre foi dor de cabeça para os times onde passou, por conta de seu comportamento fora de campo, virou o 'remédio para ressaca' no Fogão, após mais um vice-campeonato carioca.

Com futebol de qualidade inegável, Carlos Alberto não conseguiu convencer no São Paulo e foi dispensado. Livre, o meia negociou e rapidamente acertou com o Botafogo.

Pode ser um bom reforço, com características diferentes do que tem o alvinegro em seu elenco. Mas, a princípio, é um forte candidato a mico do Brasileirão!

segunda-feira, 5 de maio de 2008

Caio Júnior é o novo técnico do Flamengo

O Flamengo acabou com o mistério: Caio Júnior (foto) é o novo técnico do rubro-negro. O treinador vai substituir Joel Santana, que deixa o clube carioca para treinar a seleção da África do Sul.

Caio Júnior estava no Goiás, onde foi eliminado da Copa do Brasil após ser goleado pelo Corinthians e perdeu a final do Campeonato Gaúcho neste domingo, para o Itumbiara.

O jovem treinador ganhou a disputa com Geninho, do Atlético Mineiro, que era o outro cotado para a vaga. Outros nomes, como Paulo Autuori e Abel Braga, corriam por fora.

Esta é a chance de ouro para a carreira de Caio Júnior. Vai pegar um ótimo elenco, com bons jogadores para todas as posições e com a moral alta após o título carioca.

A carreira de Caio ainda é curta. Após chegar a Libertadores com uma brilhante campanha à frente do Paraná, foi para o Palmeiras. No clube paulista, conseguiu montar um bom time, mas passou o ano de 2007 sem títulos.

Saindo do Verdão, Caio acertou com o Goiás, onde fazia um bom trabalho até a fatídica semana em que perdeu as duas competições que disputava.

Não é o nome ideal para o Flamengo no momento, principalmente pela disputa da Libertadores. Mas é uma aposta, dentro das poucas opções e dos 'nãos' que o time carioca recebeu.


domingo, 4 de maio de 2008

Sem dificuldades, Palmeiras goleia Ponte e acaba com jejum incômodo

O Palestra Itália estava lotado. Camisas alviverdes em contraste com muitos pontos fluorescentes enfeitavam o estádio.

Nem mesmo a goleada sofrida para o Sport na quarta-feira, pela Copa do Brasil, tirou a confiança dos palestrinos, há 8 anos sedentos por títulos.

A Ponte Preta já sabia que, naquele cenário, era apenas coadjuvante e que nem a escalação surpresa do capitão César e do destaque Elias, a priori descartados por lesão, adiantaria para mudar o que já estava escrito.

O dia foi longo até chegar às 16h do domingo e Cléber Abade apitar o início do jogo. No começo a Ponte parecia disposta a pregar uma peça, mas logo desistiu, depois um chute mascado do bom Renato parar nas mãos do grande Marcos.

O Palmeiras cresceu com o grito vindo das arquibancadas do Parque Antarctica - e de todos os bares e residências palmeirenses - e logo abriu o placar, com um gol contra. Foi a deixa para um show, estrelado por Alex Mineiro.

O camisa 9 estava inspirado, fez três gols e sagrou-se artilheiro isolado do Paulistão. Valdivia também deixou o dele. E que gol!

Depois dos 5 a 0, muita comemoração. Nos vestiários, todo mundo careca. Os jogadores rasparam a cabeça, até mesmo os cabeludos. Não teve privilégio pra ninguém. Foi o pacto de um time campeão. Time este que foi questionado após algumas derrotas, mas no qual o maestro Vanderlei depositou suas esperanças.


Parabéns Palmeiras, Campeão Paulista de 2008!

Antes de partir, Joel dá o bi para o Flamengo

Há duas semanas, Joel Santana anunciou que vai deixar o Flamengo para treinar a seleção da África do Sul. Foi um duro golpe para a torcida rubro-negra. Mas, antes de partir, ele ainda tinha uma missão. Vencer pela 30ª vez o Campeonato Estadual do Rio de Janeiro.

A missão era dura. Do outro lado estava o jovem e promissor Cuca e seu Botafogo de toque refinado. Lúcio Flávio e companhia estavam dando o que falar, jogando o fino da bola. Mas faltava um algo mais.

Faltava a estrela do vencedor. A estrela do paizão, que confia naquele filho, que sempre aparece na hora de decidir. Assim é Joel. E assim é o iluminado Obina.

Na primeira partida, domingo passado, o 0 a 0 persistia, até o momento que Obina apareceu sozinho e deu a vantagem para o Mengão.

No jogo derradeiro também foi assim. O Príncipe Negro, como é chamado pela torcida, fez dois gols no momento em que o rival vencia o jogo e já sonhava em levar a decisão para as penalidades.

O 3 a 1 deu o bicampeonato ao time da Gávea e uma grande enxaqueca para o Botafogo. Desde o ano passado o bom trabalho de Cuca vem sendo marcado por sucessivas derrotas na hora do "vamos ver".

Falta a ele o espírito vencedor e a estrela de Joel Santana - que está longe de ser um grande técnico, com conhecimentos táticos e variações de jogadas. Joel é aquele treinador que tem o grupo na mão e é mais que um amigo para os jogadores, é um pai.

Ele vai fazer falta para o Flamengo na continuação da Libertadores da América e para o Brasileirão. Vai ser difícil repetir na África do Sul o sucesso obtido nos campos cariocas. Mas torço por ele.

Parabéns Flamengo, Bicampeão Carioca 2007/2008!

quinta-feira, 1 de maio de 2008

Com cara de Corinthians!

Deu a louca no Corinthians! Apoiado por mais de 50 mil pessoas, o Timão atropelou o Goiás no jogo de volta pela Copa do Brasil e fez 4x0 ainda no primeiro tempo, garantindo vaga nas quartas-de-final.

Em menos de trinta minutos, o Corinthians fez o placar. Diogo Rincon (2), o ótimo lateral André Santos e Herrera marcaram os gols do alvinegro, que chupou uva no fim do jogo (na foto, Felipe comemora), respondendo as provocações goianas.

Deu a louca no Romerito!

Em Recife, Romerito fez três gols e o Sport goleou o Palmeiras por 4x1. É o fim do sonho da tríplice coroa alviverde, além de uma ducha de água fria no melhor time do Brasil. Agora resta ao Verdão confirmar a conquista do Paulistão, domingo, contra a Ponte Preta.

Engraçado é ver a mudança de humor do técnico Vanderley Luxemburgo. Sempre cheio de brincadeiras com a imprensa, nesta quarta-feira ele distribuiu respostas atravessadas ao repórteres, que questionavam a derrota alviverde.

Batalha campal!

No famoso clima de Libertadores, São Paulo e Nacional (URU) empataram por 0x0. O futebol não foi o destaque da partida e, sim, as entradas violentas. Muitas faltas, carrinhos e encontrões, e pouquíssimos cartões amarelos e nenhuma expulsão. Para o São Paulo, o resultado não foi dos piores, já que decide a vaga no Morumbi.

Nas poucas vezes que a bola rolou sem violência, o Tricolor poderia ter vencido. Mas Alex Silva, Eder Luis e Borges perderam chances incríveis de sair do Uruguai com a vitória.

Que injustiça!

O Boca Juniors (ARG) venceu o Cruzeiro em La Bombonera por 2x1. O resultado foi bom para o time celeste, que contou com muita, mas muita sorte! Somente o Boca jogou, com jogadas ofensivas e muitas chances criadas por Riquelme, Dátolo, Palacio e Palermo. O time argentino fez 2x0. mas as chances de ampliar eram perdidas uma a uma.

No final, o volante Fabrício 'achou' um gol do meio da rua e descontou para o Cruzeiro, que poderia ter levado uma goleada histórica, mas volta à Minas com chances de tirar o bicho-papão da Libertadores.

América carioca!

Os times do Rio de Janeiro fizeram bonito nas partidas de ida das oitavas-de-final da Libertadores. No México, o Flamengo ainda poupou alguns jogadores, mas dominou a partida e fez 4x2 no América (MEX) e está com as duas mãos na vaga.

Já o Fluminense, dono da melhor campanha do torneio, venceu o Nacional (COL) poe 2x1, com gols de Thiago Neves e Conca, e também deve passar para a próxima fase sem grandes problemas.




quarta-feira, 23 de abril de 2008

Feliz coincidência anima o Flamengo

O técnico Joel Santana (foto) anunciou nesta semana que deixará o Flamengo após a decisão do Campeonato Carioca. Ele vai assumir a seleção da África do Sul e deverá disputar sua primeira Copa do Mundo em 2010.

Desta forma, o Flamengo procura um novo técnico. E justamente em um momento crucial da Libertadores, quando o time já está classificado para as oitavas-de-final e tem reais chances de título.

Apesar da mudança no comando, dois fatores podem animar a nação rubro-negra. Para começar, Joel Santana não está entre os melhores treinadores do país. Aliás, longe disso. E também não tem a tal experiência em Libertadores.

O que também pode ser positivo é uma recente coincidência envolvendo Libertadores e troca de treinador. Em 2005, o São Paulo perdeu o comandante Emerson Leão, que foi para o Japão, na mesma fase do torneio. Paulo Autuori assumiu, melhorou o que estava bom e chegou ao título. E mais, foi campeão mundial.

Curiosamente, o próprio Paulo Autuori é um dos nomes cotados para assumir o Mengão. Além dele, o auxiliar da Seleção, Jorginho, Abel Braga (Inter) e Geninho (Atlético-MG) completam a lista rubro-negra.

Claro que a coincidência não fará o Flamengo ser campeão da Libertadores novamente. Mas que pode dar um ânimo extra à torcida, isso pode!

domingo, 20 de abril de 2008

Deu a lógica: o favorito está na final

Com espírito de vencedor, o Palmeiras bateu o São Paulo por 2 a 0 e vai fazer a final do Paulistão 2008 contra a Ponte Preta, que eliminou o Guaratinguetá no sábado.

O jogo foi de total domínio do Verdão, que, jogando no Palestra Itália, com a apoio de mais de 25 mil palmeirenses, fez valer o rótulo de favorito dado pela imprensa, pela torcida e chancelado por torcedores, jogadores e dirigentes são-paulinos.

Léo Lima, desacreditado por todos quando chegou ao Palmeiras, foi o nome do jogo. Controlou o meio campo e foi dele o primeiro gol da partida. O camisa 27 chutou forte, no meio do gol e Rogério Ceni... bem... Rogério Ceni, apesar de estarmos longe do Natal, levou o peru! Palmeiras 1 a 0.

Na segunda etapa, o domínio alviverde continuou. Primeiro com Kléber, que foi derrubado por André Dias na entrada da área. Em seguida, Leandro cruzou, Rogério Ceni olhou a bola passar em sua frente e Valdivia chutou muito perto.

O chileno, que não foi bem no jogo do Morumbi – e ouviu muitos dizerem que ele não era um jogador decisivo, que era pipoqueiro, que tremia na hora H – fez uma ótima partida. Conseguiu sair com tranqüilidade da fraca marcação do destemperado Fábio Santos e foi decisivo (olha só!) para a classificação.

Aos 40 do segundo tempo, em mais um cruzamento na área do goleiro Marcos, Valdivia afastou de cabeça e a bola caiu nos pés de Lenny, que driblou e passou para Wendel. O polivalente jogador saiu cara a cara com Rogério Ceni, mas preferiu passar para o lado em vez de fazer o primeiro gol dele com a camisa do Verdão.

E quem estava do lado para rolar a bola para o gol? Ele mesmo: Valdivia! O camisa 10 começou a jogada no campo de defesa, atravessou o gramado todo e decretou a merecida classificação do Palmeiras. Verdão 2 a 0.

Agora, o adversário é a Ponte Preta. Quem leva o título? O superfavorito Palmeiras ou a boa equipe da Macaca?

quarta-feira, 16 de abril de 2008

A saída de quem nem veio!

Contrariando o famoso e irônico dito 'A volta dos que não foram', o São Paulo confirmou que o meia Carlos Alberto (foto) não será reintegrado ao elenco do Tricolor.

O jogador, que estava acima do peso desde que chegou ao Morumbi, não agradou dentro de campo e muito menos fora dele. O estopim para sua saída foi a discussão com o volante Fábio Santos, que já foi reintegrado ao time são-paulino.

O superintendente de futebol do clube, Marco Aurélio Cunha, que tratou pessoalmente da transferência de Carlos Alberto para o São Paulo, justificou que algo não deu certo e que o clube continuará cumprindo suas obrigações até o fim do contrato.

Em menos de três meses, Carlos Alberto fez apenas um gol - muito importante, diga-se de passagem, no clássicon contra o Santos - e conseguiu acumular algumas confusões em seu curriculo.

Chegou muito acima do peso, detectou um problema na tireóide, que difultava a perda de peso. Cortou o pé dentro da própria casa, desfalcando o Tricolor por alguns jogos. Chegou atrasado no treino do último dia 4, o que causou a antecipação da concentração do time e a briga com Fábio Santos na seqüência.

É o primeiro dos bad-boys tricolores que deixa a equipe. Adriano e Fábio Santos já tiveram seus problemas, mas continuam no grupo. Adriano, inclusive, mostrou para quê veio e está fazendo muitos gols.

Agora resta saber de Fábio Santos. Qual será o fim do volante no Tricolor?

terça-feira, 15 de abril de 2008

Romário anuncia aposentadoria

Agora é pra valer! Aos 42 anos, Romário (foto) anunciou a sua despedida oficial do futebol. A revelação foi feita nesta segunda-feira, no lançamento do DVD sobre sua carreira, no Rio de Janeiro.


Autor de 1002 gols em toda a carreira, muitos deles memoráveis, Romário já era um ex-atleta em atividade há algum tempo. Desde retornou ao Vasco, em sua quarta passagem, o baixinho não apresentou o futebol que o consagrou como um dos maiores atacantes da história.

Além do Vasco, primeiro e último clube de sua carreira, Romário teve passagens por Flamengo, Fluminense, PSV (Holanda), Barcelona (ESP), Valencia (ESP), Al-Saad (CAT), Adelaide United (AUS) e Miami FC (EUA).

Romário foi gênio, foi craque, foi decisivo, foi vitorioso. Carregou a Seleção Brasileira nas costas em 1994, no tetracampeonato. Em 1998, foi cortado às vésperas da Copa da França e em 2002 foi preterido por Felipão.

O baixinho foi eleito o melhor do mundo em 1994, em excelente fase. Golaços não faltam no curriculo do artilheiro. Um dos mais marcantes foi pelo Flamengo, contra o Corinthians, no Pacaembú, quando deu um lindo elástico em Amaral e tocou na saída do goleiro.

Pois é, infelizmente tudo chega ao fim. Mas Romário deixará uma bonita história, lindos gols e muita saudade no torcedor brasileiro.


domingo, 13 de abril de 2008

Com gol de mão, São Paulo surpreende o Palmeiras


Na primeira partida da semifinal do Paulistão, o São Paulo surpreendeu o favorito Palmeiras e venceu por 2x1, no Morumbi. Na próxima semana, as duas equipes se encontram novamente, desta vez no Palestra Itália, com o Tricolor jogando por um empate para chegar às finais.

Assumindo sua inferioridade técnica, ao menos momentânea, o São Paulo começou a partida na defesa, marcando forte e saindo para os contra-ataques. Segurando o ímpeto inicial do Palmeiras, o Tricolor conseguiu sair na frente logo no início. Em falta cobrada por Jorge Wagner, o atacante Adriano (foto) abriu o placar, de mão. Após muita reclamação, o árbitro Paulo César de Oliveira justificou que não houve intenção de toque por parte do Imperador.

Na seqüência do jogo, o Palmeiras pressionou e tentou o empate, mas sem levar muito perigo. O grande lance do Verdão no primeiro tempofoi uma cabeçada de Alex Mineiro, que tocou a trave de Rogério Ceni.

No segundo tempo, o São Paulo voltou com o mesmo posicionamento defensivo e contou com um erro bisonho do palmeirense Gustavo, que tropeçou na bola. Jorge Wagner, então, lançou Adriano, que teve tranqüilidade para fazer o seu segundo gol na partida.

Com 2x0 no placar, Luxemburgo resolveu mexer no time. Colocou Denílson, Martinez e Lenny, ficando, inclusive, sem lateral-direito. O São Paulo continuava fechado e só assustava em poucos contra-ataques. De tanto pressionar, o Palmeiras diminuiu. Lenny caiu na entrada da área e o árbitro deu pênalti, muito contestado pelos jogadores do Tricolor. Alex Mineiro converteu e colocou fogo na partida.

O Palmeiras ainda tentou o empate, mas não criou grandes chances. O “mago” Valdívia, apagadíssimo, não apareceu para o jogo e decepcionou. Foi muito bem marcado por Zé Luís, que o acompanhou quase individualmente.

No próximo jogo, porém, o São Paulo não contará com o próprio Zé Luís e com Richarlyson, ambos suspensos pelo terceiro cartão amarelo. Pelo lado palmeirense, o importante volante Pierre também estará fora pelo mesmo motivo.
E a vaga continua aberta. A vantagem do São Paulo é pequena e o time do Palmeiras continua sendo melhor tecnicamente. A grande diferença no momento é a maturidade do Tricolor. É um time mais decisivo e acostumado com jogos deste nível, o que pode ser essencial no confronto.




quarta-feira, 9 de abril de 2008

Comemoração inusitada embala o Cúcuta


Ontem, o Cúcuta (COL) venceu o San José (BOL) por 4x2, na altitude boliviana, e garantiu a classificação no grupo 6, que conta com o Santos.

O resultado foi normal e não mereceria mais que uma simples nota. Mas o que ganha destaque é o modo peculiar como o atacante Matias Urbano, do Cúcuta, comemora seus gols.

O artilheiro marcou três vezes no confronto e festejou todos da mesma forma: deita-se no chão e faz um impulso com as costas, levantando do chão e caindo novamente, em um movimento repetido algumas vezes.

Veja os gols e as comemorações no vídeo acima!

Pois é, quando você pensa que já viu de tudo no futebol ...

Outros resultados de ontem:

Atlas (MEX) 3 x 1 Boca Juniors (ARG)
E o tradicional time argentino corre perigo!

Libertad (PAR) 3 x 1 LDU (EQU)

terça-feira, 8 de abril de 2008

Raio-X da semi-final


Definidos os confrontos da semi-final do Campeonato Paulista, inicia o período de provocações, brigas de bastidores e rivalidade acirrada.

Por um capricho da tabela, Palmeiras e São Paulo se encontram logo na semi-final. O confronto, porém, tem clima de final.

De um lado, o favorito Palmeiras, com um time forte ofensivamente, como a torcida alviverde não via há tempos. O otimismo em Valdívia, Kléber e companhia transborta e muitos palmeirenses esperam outra goleada contra o Tricolor.

Nos lados do Morumbi, um pé atrás e o reconhecimento: o Palmeiras é o favorito! Mas, na verdade, tanto o elenco quanto a torcida confiam em um bom resultado. Todos sabem que o São São Paulo é um time de chegada e deve incomodar. E conta com Adriano em ótima fase.

A rivalidade entre as duas equipes cresceu desde o primeiro confronto, na fase inicial, quando o Verdão goleou o São Paulo por 4x1. Polêmicas como a cotovelada de Kléber em André Dias, agressão de Jorge Wágner em Valdívia, além das provocações entre as torcidas.

Na outra semi-final, o líder Guaratinguetá tentará confirmar a boa campanha contra a Ponte Preta. O confronto traz estilos de jogo diferentes.

O Guará atua com uma postura mais segura, abusando dos contra-ataques com Michael e Alessandro. A Ponte já tem um estilo mais ofensivo, contando com a criação dos meias Renato e Elias, destaques do Paulistão.

O futebol mais forte do país mais uma vez dá mostras de seu pontencial. É o campeonato estadual mais emocionante e, agora, um grandes doses de emoção!

E para você, quem vai para a final do Paulistão?


segunda-feira, 7 de abril de 2008

O afastamento de Fábio Santos e o sumiço de Carlos Alberto

Um mistério paira no ar sempre perfumado dos floridos campos do Morumbi.

Ontem, antes da vitória do São Paulo sobre o Juventus, pela última rodada da primeira fase do Paulistão, a diretoria do clube divulgou um comunicado à imprensa, o qual informa que o volante Fábio Santos está suspenso de todas as atividades do time por 29 dias.

A curiosidade é que o meia Carlos Alberto também foi afastado, segundo os dirigentes, para entrar em forma.

No entanto, há quem diga que as duas punições têm uma relação. A versão da cúpula Tricolor diz que Fábio Santos desrespeitou ordens. Não concordou em concetrar junto com o time dois dias antes da partida, reclamou e foi embora.

Já a versão de alguns membros da imprensa fala em "quebra-pau" entre os jogadores. O meia teria chegado atrasado ao treino da sexta-feira e, na visão de Fábio Santos, isso teria motivado a direção a antecipar a concentração, o que o deixou furioso.

O volante teria agredido Carlos Alberto, que ficou com hematomas no rosto e por isso está longe dos holofotes.

O fato concreto é que os dois jogadores não são flor que se cheire. Vieram sob desconfiança e todos já esperavam o momento em que essa bomba ia explodir. O São Paulo arriscou ao trazer jogadores já conhecidos por seus passados, digamos, tenebrosos e agora está tendo que administrar uma situação complexa.

E você, o que acha que aconteceu na concetração Tricolor?

sexta-feira, 4 de abril de 2008

Quem deve temer a altitude?

A Conmebol definiu ontem sua posição favorável ao jogos em lugares 2.700 metros acima do nível do mar, tanto para jogos de clubes quanto de seleções. A decisão é polêmica, uma vez que a FIFA já havia se colocado contrária a jogos na altitude.

Mas a questão é: a altitude é realmente um problema? Logicamente que nenhum time é imbatível só pela altitude, senão Bolívia e Peru, e até Equador, estariam em todas as Copas e seus times iriam muito bem na Libertadores, o que não é o caso.

Para os clubes de 'baixo', jogar nas alturas de La Paz ou Cuzco é algo, por que não dizer, cruel. O ar é rarefeito, o pulmão não está acostumado e as pernas não rendem o esperado. Sem contar os riscos de desmaios, já a questão de possibilidade de morte para mim é exagero, mesmo com toda essa história envolvendo o Flamengo e laudos de médicos da Bolívia.

No entanto, quem deve temer de verdade a altitude são os países que brigam por ela. Sim! Um exemplo claro ocorreu nessa terça-feira, quando o Santos humilhou o San José da Bolívia por 7 a 0, e poderia ter sido 10. Mas aí você checa a tabela e vê que o outro jogo, foi 2 a 1 pros bolivianos, ajudados pela altitude.

Os times bolivianos, peruanos, equatorianos, ou seja, os Altitude F. C. não percebem que o seu maior trunfo é justamente o que está atrasando-os. Pois eles não se preocupam em evoluir no futebol, pra quê? O San José bateu o poderoso Santos, ou seja, é um time bom, pensam eles. Mas a coisa não é assim! O time do San José, se disputar o Paulistão, é rebaixado, sem dúvidas.

A evolução futebolística é algo que todos devem buscar. A Venezuela conseguiu, os times do país estão mais competitivos e a seleção pode figurar na Copa de 2010, algo que não seria nada estranho. Enquanto os clubes e seleções se apoiarem na altitude, o futebol deles continuará lá embaixo.

quinta-feira, 3 de abril de 2008

Flu cala os críticos! Inclusive eu...

O Fluminense iniciou o ano com um projeto ousado, sonhando com o inédito título da Libertadores. Para isso, investiu pesado e trouxe jogadores de renome, como Dodô, Washington e Leandro Amaral.

Junto com os reforços, vieram as previsões, quase sempre nebulosas para o Tricolor. Inclusive minhas, diga-se de passagem. A junção de craques recém-contratados e a falta de tradição no torneio fizeram todos duvidarem na campanha do Flu na Libertadores.

Após quatro jogos, porém, tudo mudou. A tal guerra de egos entre as estrelas não aconteceu e o Fluminense passou pelo 'grupo da morte', tido como o mais difícil da competição. Foram três vitórias, sendo uma goleada histórica contra o Arsenal (ARG) e um empate, garantindo a vaga antecipadamente.

Na Libertadores, todos sabem que o buraco é mais embaixo. Mas Renato Gaúcho conseguiu passar aos atletas as dificuldades da competição. A primeira etapa, inclusive, já foi concluída com êxito.

Agora o Fluminense espera pelo mata-mata. E aí o buraco é mais embaixo ainda. Vêm por aí muitos adversários acostumados a confrontos deste tipo, pressões em estádios acanhados ou grandes caldeirões.

Mas por enquanto (vejam só, POR ENQUANTO), o Flu tem muito o que comemorar. Já está incluso no seleto grupo dos melhores times da América!

sexta-feira, 28 de março de 2008

Corintianos roxos?

Conhecida como Fiel, a torcida do Corinthians está dividida com a estréia da camisa ROXA, feita para homenagear os fanáticos pela equipe. O Timão entrará em campo domingo, contra o Marília, com seu novo uniforme pela primeira vez. A inovação causou discussão entre os corintianos.

A 'onda roxa', com diversas propagandas e anúncios, fez o Corinthians deixar o tradicional preto e branco um pouco de lado. Até o ônibus da equipe e os muros do Parque São Jorge foram pintados de roxo.

A direção alvinegra, porém, não contava com a reação adversa dos torcedores. O muro da sede do Timão apareceu pixado nesta sexta-feira, com os dizeres "Corinthians é preto e branco", "somos alvinegros" e "Corinthians é tradição".

A camisa será utilizada como terceiro uniforme e foi pensada como forma de homenagear o torcedor corintiano, que é tido como ROXO. A Nike, fornecedora de material esportivo do clube, investiu pesado na divulgação da camisa e as vendas estão indo muito bem.

Alheio à discussão dos torcedores, todos sabem que a tradição do alvinegro é um marco do Corinthians e isso nunca mudará. A idéia de ter um terceiro uniforme, fora das cores tradicionais, é válido e importante para o futebol.

Mas cá entre nós, a escolha pela cor não foi das melhores e a camisa não ficou bonita!

quinta-feira, 27 de março de 2008

Lá vem o Pato...

Uma mescla de sorte e competência. Destino e qualidade. Aos 18 anos, Alexandre Pato (foto) desponta no futebol internacional e deixa para trás o status de promessa para tornar-se grata realidade.

Com uma ascensão meteórica, encantou o Brasil ao ser promovido ao time profissional do Inter e não sentir o peso da responsabilidade. Ótimo futebol, muitos gols e uma estrela que brilha nos momentos decisivos. Foi campeão mundial com o Colorado com apenas 17 anos.

A qualidade de Pato não cabia mais no fraco futebol nacional e merecia vôos maiores. Foi, então, negociado com o Milan (ITA) por valiosos 20 milhões de euros. Durante seis meses, apenas treinou e ambientou-se ao futebol europeu. Em sua estréia oficial, marcou e foi notícia na Itália.

Titular absoluto do time milanês, chegou a vez de brilhar com a camisa da Seleção Brasileira. Ontem, em sua estréia oficial, marcou o gol da vitória sobre a Suécia e mostrou: veio para ficar!

A cara de menino contrasta com o futebol de craque. O valor de seu passe não tirou a simplicidade do garoto, ainda vislumbrado com tudo o que o futebol pode proporcionar a uma estrela.

Bem-vindo Alexandre Pato, o futebol agradece!

terça-feira, 25 de março de 2008

Cotovelada rende apenas três jogos à Kléber

O atacante Kléber, do Palmeiras, foi punido com apenas três jogos pela cotovelada no zagueiro André Dias, do São Paulo, no clássico vencido pelo Verdão há duas semanas.

A boa defesa feita pelo advogado do Palmeiras conseguiu descaracterizar a acusação de agressão. O lance, então, foi tratado como ato hostil, rendendo a pena de três jogos para Kléber, que ficará de fora da reta final da fase de classificação do Paulistão, mas volta nas semi-finais.

A decisão do Tribunal, extremamente leve, foge da lógica e da violência da jogada. Kléber, que é um excelente atacante desde os tempos em que deixou o São Paulo por um preço muito abaixo do esperado, teve sim a intenção de agredir o adversário.

A punição, porém, não causa estranheza, já que o Tribunal paulista não costuma aplicar penas muito severas, ao contrário do que acontece no STJD, em lances do Campeonato Brasileiro.

O Palmeiras ainda reclamou da pena, considerando injusta. O São Paulo, através do seu vice de futebol, Leco, usou da ironia para comentar. “Achei exagerado. O Kléber deveria ser absolvido e o André Dias suspenso”, disse o dirigente.

Agora a diretoria alviverde se mexe para conseguir uma punição a Jorge Wágner, por uma joelhada no chileno Valdivia. E assim segue a guerra de bastidores!

segunda-feira, 17 de março de 2008

De lavada!


Não foi a chuva, que castigou a cidade de Ribeirão Preto durante todo o dia, a responsável por lavar a alma do torcedor palmeirense na tarde de ontem. Golear por 4 a 1 o inimigo, como diriam palestrinos mais velhos, é uma sensação indescritível.

No clássico deste domingo teve de tudo. Jogada bonita, porrada na cara, golaço, cartão vermelho e três pênaltis. Uma partida que poderia ter sido estragada pelo mau estado do campo, encharcado e cansado, depois de três jogos em menos de dois dias, foi um jogão digno dos melhores Palmeiras versus São Paulo.

O Tricolor saiu na frente com Adriano, de cabeça. O Imperador foi o melhor jogador do time do Morumbi. Deu trabalho à defesa do adversário e recebeu elogios de Vanderlei Luxemburgo.

O Verdão partiu para a goleada com um golaço do ótimo atacante Kleber, que, minutos antes, havia dado uma cotovelada bem dada no rosto do razoável zagueiro André Dias. O jogador, que começou no São Paulo e nunca digeriu muito bem a venda prematura para o futebol ucraniano, fez seu segundo belo gol seguido.

Os outros gols do alviverde saíram de pênalti. Pênaltis claríssimos, convertidos por Denílson – que comemorou (e muito!) o gol contra o ex-clube, que o fechou as portas para sua recuperação –, Valdívia e Diego Souza.

Depois do jogo, a festa dos palmeirenses contrastou com as patéticas e arrogantes declarações do dirigente Marco Aurélio Cunha, do São Paulo, que disse que o São Paulo está sendo perseguido pelos árbitros e que aquele jogo não era importante, pois já disputou títulos muito maiores do que o do Paulistão.
Fato é que o Palmeiras, depois dessa vitória, mostrou que tem tudo para levar o título. Já o Tricolor, tem mais é que se cuidar, pois, status não ganha nada e a arrogância e soberba só fazem a queda ser maior.

sexta-feira, 14 de março de 2008

Clássico inglês e reencontro esquentam a Liga dos Campeões

Foram sorteados nesta sexta-feira os confrontos das quartas-de-final da Liga dos Campeões da Europa.

Os times ingleses estão dominando esta edição da Liga, já que quatro dos oito 'sobreviventes' são da terra da Rainha. Os turcos do Fenerbahce, comandados por Zico (foto), enfrentarão o Chelsea, tentando ampliar a campanha histórica do clube.

O clássico entre Arsenal e Liverpool também chama atenção nestas quartas-de-final. Os dois times eliminaram os italinos e favoritos ao título europeu, Milan e Inter de Milão, respectivamente.

Manchester United e Roma se encontram novamente no torneio, já que no ano passado o time inglês eliminou os italianos com uma goleada por 7x1.

O Barcelona tem, na teoria, o confronto mais fácil. Enfrenta o Schalke 04, que não tem tanta tradição no torneio, mas pode surpreender o time espanhol, principalmente pela má fase de Ronaldinho e companhia.

terça-feira, 11 de março de 2008

Apelação!

A Internazionale de Milão perdia para o Liverpool por 1 a 0 em casa, no jogo de volta das oitavas-de-final da Champions. Precisando fazer 4 gols para se classificar, a equipe italiana não teve escolha senão apelar para o Rei do Futebol, vejam:



Mesmo assim, não deu para a Inter, que, mesmo com Pelé em campo, perdeu de 1 a 0 e está fora da competição. É, o Rei não é mais o mesmo, entende?

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

UEFA pagará aos clubes por cada jogador nas seleções nacionais

A guerra dos grandes clubes europeus contra as seleções nacionais começou a ser vencida nesta semana.

O presidente da UEFA, Michel Platini, assinou um acordo para que os clubes recebam 4 mil euros ao dia por cada jogador cedido às seleções nacionais durante os campeonatos europeus de 2008 (Eurocopa e Eliminatórias para a Copa de 2010).

O dinheiro do pagamento será retirado dos lucros da organização dos torneios geridos pela própria UEFA.

A decisão foi anunciada pelo presidente do Lyon, Jean-Michel Aulas(foto), que também dirige o grupo de clubes G14, que, atualmente, é formado pelas maiores potências do continente e, futuramente, será dissolvido para dar lugar à Associação dos Clubes Europeus, muito mais abrangente.

Aulas ainda disse que o prêmio deve aumentar para 5 mil euros ao dia no ano de 2012. Esse acordo recebeu o respaldo da Fifa e também valerá a partir da Copa do Mundo de 2010, quando os clubes receberão 2 mil euros ao dia por cada atleta..

Essa é uma briga antiga dos clubes do G14, que reclamam que precisam ceder a maioria de seus times para as seleções, correndo o risco dos jogadores sofrerem lesões, além do desgaste físico.

O assunto é polêmico. Você acha que as seleções ou as confederações continentais devem pagar pelos jogadores convocados?

Vote na enquete e comente!

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Seleção pentacampeã vale quase o mesmo que a Arábia Saudita

Na semana passada, o torcedor brasileiro ficou surpreso com o anúncio do acordo entre a seleção da França e a Nike por US$ 63,3 milhões (R$ 107,6 milhões), enquanto a Seleção Brasileira, pentacampeã mundial, recebe U$ 12 milhões dos americanos, cinco vezes menos que os franceses, campeões do mundo apenas em 98, quando jogaram em casa.

Agora é a vez do fraco selecionado da Arábia Saudita fechar um acordo quase similar ao da equipe canarinho. Os árabes acertaram contrato de quatro anos com a marca Sela Sport, que pagará U$ 10 milhões por temporada.

O México é outra equipe que recebe praticamente o mesmo valor que o Brasil. Eles também são patrocinados pela Nike e têm um acordo de U$ 11 milhões por ano.

O mais bizarro disso tudo é que, em 2006, a CBF renovou automaticamente o seu vínculo com a Nike, pois o honesto doutor Ricardo Teixeira disse que nenhuma outra empresa apareceu para fazer concorrência.

No ano passado, o Corinthians, que também é patrocinado pela marca norte-americana, renegociou o contrato e conseguiu valorizar o preço do patrocínio.

A França, que continuará sendo patrocinada pela Adidas até 2011, três anos antes do término do contrato, fez uma licitação. Assim, recebeu várias ofertas e optou pela mais vantajosa.


Até quando teremos que agüentar gente metendo a mão nos cofres de um dos maiores patrimônios que o Brasil tem? Quando isso vai mudar e os clubes, hoje com rabo preso, terão autonomia para poder votar em quem quiser?

terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Que fase hein, Ceni!

O São Paulo começou o ano de 2008 como o grande time do Brasil. Manteve a base do título brasileiro de 2007 e ainda trouxe reforços, credenciando-se aos títulos da Libertadores e do Paulistão.

Mas o ano começou e o bom futebol do ano passado ficou em 2007. Com novos jogadores, como o Imperador Adriano, o São Paulo mudou sua forma de jogar e ainda não encontrou sua melhor formação.

E, para piorar, perdeu seu ponto forte do último Brasileirão: a defesa quase imbátivel. No torneio nacional, o Tricolor sofreu apenas 19 gols em 38 jogos. Só no Paulistão deste ano, a meta de Rogério Ceni (foto) já foi vazada 12 vezes em apenas 11 jogos.

A saída de Breno para o Bayern de Munique (ALE) pode explicar os números abaixo do esperado pela torcida são-paulina. Juninho chegou do Botafogo e ainda não convenceu. Alex, que também voltou de empréstimo do time carioca, mostrou porque já foi dispensado do São Paulo antes.

A má fase de Richarlyson, que fez ótima dupla com Hernanes em 2007, também é um dos motivos. O sucesso parece ter subido à abeça do polivante jogador, que está com a cabeça quente e reclama de todas as faltas sofridas e cometidas. É um xilique atrás do outro! Futebol que é bom, nada.

Rogério Ceni também não anda ajudando. O goleiro tem falhado seguidamente, principalmente nos chutes de longa distância, dando rebotes antes inaceitáveis para um arqueiro de seu nível. Ele reconhece que a fase não é boa, mas crê em uma melhora.

E a torcida do São Paulo espera que esta melhora seja vista rapidamente. A Libertadores começa nesta quarta-feira para o Tricolor e é preciso muito mais do que já foi apresentado para buscar o tetracampeonato.

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

Triste capítulo na história do Fenômeno

O atacante Ronaldo (foto) teve ontem mais um triste capítulo com contusões em sua carreira. Na partida contra o Livorno, o Fenômeno entrou no time do Milan no segundo tempo e com menos de 3 minutos em campo sofreu uma grave lesão.

A ruptura do tendão patelar do joelho esquerdo deve tirar Ronaldo dos gramados por cerca de um ano. A contusão é idêntica a aquela já sofrida pelo jogador, ainda quando jogava pela Inter de Milão, em 2000, mas desta vez foi no joelho esquerdo.

A cena do Fenômeno saindo de campo chorando na maca faz lembrar as sérias lesões que o atacante já sofreu e superou. Desde sua saída do Barcelona para a Inter de Milão, o joelho de Ronaldo acusa o esforço feito no seu início de carreira.

O atacante saiu franzino do Cruzeiro para jogar no PSV, da Holanda. Lá, foi submetido a um intenso tratamento para fortalecer sua musculatura. Ganhou massa, velocidade e explosão em seus arranques, que lhe renderam o prêmio de melhor jogador do mundo em três ocasiões e o apelido de Fenômeno.

Após a grave lesão na Inter de Milão e sua operação em 2000, o craque só voltou aos gramados na Copa do Mundo de 2002. E em grande estilo, sendo campeão e artilheiro. Chegando ao Real Madrid, superou os problemas no joelho, mas começou a ter uma série de problemas musculares.

Sem muito sucesso entre os 'Galácticos' do Real, Ronaldo seguiu para o Milan e os problemas não mudaram. A musculatura do Fenômeno seguiu frágil e o impedindo de atuar pelo time italiano. E agora é o joelho, desta vez o esquerdo, que volta a atormentar o atacante.

Hoje, aos 31 anos, o craque deve demorar um pouco mais para recuperar-se. Além disso, será preciso cuidar do lado psicológico do Fenômeno, que não deverá ter a mesma motivação para voltar a jogar, pois já conquistou tudo o que poderia como jogador.

Vai ser preciso esperar para saber a reação de Ronaldo em sua recuperação. Será que o craque terá a mesma disposição para voltar a jogar e continuar brilhando? Só com o tempo podermos saber e, quem sabe, assistir Ronaldo novamente em ação pelos gramados do mundo!

E você, acha que a carreira de Ronaldo está em risco?


quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

Romário, Eurico e a estátua

A conturbada saída de Romário (foto) do Vasco da Gama ainda dá o que falar nos lados de São Januário. O presidente do clube, Eurico Miranda, não digeriu bem a saída do Baixinho e cogitou, inclusive, retirar a estátua, que foi colocada no estádio vascaíno como forma de homenagear o jogador. Depois, o dirigente negou a retirada.

Romário, que acumulava os cargos de treinador e jogador (embora cumprindo suspensão pelo caso de doping) do Vasco, decidiu deixar o time cruzmaltino após Eurico palpitar na escalação da equipe em um jogo contra o Friburguense, pelo Campeonato Carioca.

Para o dirigente, esta foi uma desculpa arranjada pelo Baixinho para deixar o Vasco. Eurico disse, ainda, que interferiu na escalação de muitos treinadores para que Romário chegasse ao seu milésimo gol.

A relação entre Romário e Vasco já não era boa há algum tempo, desde que o clube não ajudou o atacante a provar inocência no exame antidoping. Como tapa-buraco no comando do time, Romário também não demonstrou paciência para permanecer no cargo e sua saída era questão de tempo.

A saída do Baixinho do clube é completamente normal. Eurico pode chiar, pela não realização do jogo de despedida do jogador, que seria no Vasco e agora pode acontecer com a camisa do rival Flamengo. Mas retirar a estátua que homenageia o craque de São Januário é ir contra a história vascaína.

Romário nasceu para o futebol no Vasco, foi para a Europa e voltou, anos depois (e após passagem pelo rival Flamengo) para ganhar inúmeros títulos, como a Copa João Havelange e a Copa Mercosul, ambos em 2000. A homenagem é mais que justa e merecida, por tudo que Romário deu ao Vasco.

A aposentadoria da camisa 11, eternizada nas costas do Baixinho, também já foi questionada e o número pode voltar a ser utilizado pela equipe cruzmaltina.

E, desta forma, o futebol brasileiro segue sem saber agradecer e homenagear os seus ídolos. Romário é um ícone do futebol nacional e do próprio Vasco da Gama. Que sua estátua permaneça e a camisa 11 siga aposentada, como lembrança dos muitos gols que Romário foi responsável!


terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

Créu: provocação acirra rivalidade 'Fla-Flu'

No clássico carioca do último domingo, o Fluminense goleou o Flamengo por 4x1, ambos com times mistos, com três gols e um show particular do meia Thiago Neves (foto).

Após o Fla abrir o placar, o meia tricolor marcou dois gols de falta e um golaço em jogada individual. Nas comemorações, Thiago Neves dançava a famosa 'Dança do Créu', uma música de funk muito conhecida, principalmente no Rio de Janeiro.

A torcida do Fluminense entrou na onda e cantou a música para os rivais, que ficaram visivelmente irritados com a provocação.

Antes do meia do Flu, o atacante Souza, justamente do Flamengo, já havia comemorado seus gols no Campeonato Carioca fazendo a mesma dança.

Os dois times estão na semi-final do Carioca e podem se encontrar na final. Esta é a esperança dos flamenguistas para uma possível e desejada revanche!

Confira um vídeo que a torcida do Fluminense fez em 'homenagem' aos rubro-negros:


Denílson neles!

Hoje, o Palmeiras deve apresentar seu último reforço para o Campeonato Paulista. Trata-se de um campeão mundial, que chega sob os olhares desconfiados da torcida e da imprensa.

O badalado (e baladeiro) Denílson despontou como craque no São Paulo, em 1997, e chegou a ser o jogador mais caro do mundo, vendido ao Real Betis por cerca de 30 milhões de dólares, em 1998.

Dono de dribles mágicos, chegou a lembrar Garrincha. Os adversários o temiam, tinham medo de tentar desarmá-lo e ficar no chão.

Foi a duas Copas do Mundo e teve um papel importante. Era uma espécie de 12º jogador tanto do técnico Zagallo, no vice-campeonato na França em 98, como para Felipão, na conquista do Pentacampeonato na Ásia em 2002.

Quem não se lembra da famosa imagem dos quatro turcos correndo atrás dele na semifinal de 2002?

Agora, depois de sete anos na Espanha, um ano na França, uma temporada na Arábia e seis meses nos Estados Unidos, chega ao Parque Antártica em baixa, precisando reerguer a carreira e refazer sua imagem.

Como tudo aconteceu?

Julho de 2007. Denílson estava sem time, há seis meses sem jogar e precisava readquirir a forma física. Como de praxe, foi se tratar no Reffis do São Paulo. Treinava, quando o fisioterapeuta Ricardo Sassaki disse que ele teria que conversar com João Paulo de Jesus Lopes, um dos caciques da administração Juvenal Juvêncio, para pedir autorização para fazer o tratamento.

João Paulo chegou para ele e disse: “Você é um jogador que o torcedor gosta, muito importante para o São Paulo, mas não vai dar. Você não pode se recuperar aqui”.

A ingratidão dos lordes do Morumbi foi um choque para Denílson, que foi procurar abrigo no Palmeiras, que prontamente abriu suas portas.

Ele se recuperou e quase acertou com o time de Palestra Itália, mas preferiu aceitar uma proposta milionária do Dallas dos EUA, onde ficou por seis meses.

Janeiro de 2008. Denílson voltou ao Palmeiras para manter o condicionamento físico. Chamou a atenção de Vanderlei Luxemburgo, que pediu sua contratação. O técnico disse que o jogador mudou suas características e acha que pode fazer com ele o mesmo que fez com Zé Roberto no Santos.

A estréia já deve acontecer contra o Juventus, no fim de semana, e Denílson terá de mostrar que ainda não acabou. Você ainda acredita nele?

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

Cadê o grande que estava aqui?

Que o Campeonato Paulista é o mais disputado do País ninguém discute. Mas esse começo de ano, a surpresa está, por que não dizer, mais surpreendente.

Após 7 rodadas, o primeiro grande que aparece na tabela de classificação é o São Paulo, em 5º lugar, e apenas os 4 primeiros se classificam para as semi-finais.

A ponta, merecidíssima, é do Guaratinguetá com 18 pontos, fruto de suas 6 vitórias seguidas no torneio. Logo abaixo, vem Ponte Preta com 16 pontos, Noroeste e Ituano com 13.

Se o super São Paulo não embalou e vem jogando abaixo da média, o que dizer dos outros grandes? O Corinthians é só o 10º, e o Santos, atual campeão, divide a modestíssima 14ª colocação com o Palmeiras, de Vanderlei Luxemburgo.

Mas qual a explicação? Muitos falam que os 'pequenos' do interior tiveram muito mais tempo para se prepararem e estão goleando no aspecto físico. Mas a verdade é que eles estão jogando muito mais que os grandes, no aspecto tático e técnico.

Por mais que ainda tenha muito campeonato pela frente, é inegável a frustração dos torcedores com seus respectivos clubes. Os palmeirenses devem ser os mais insatisfeitos. Com a chegada do Luxa, e de jogadores como Diego Souza, Lenny, Alex Mineiro e Élder Granja. Todos esperavam se não uma máquina, mas pelo menos um time brigando pela ponta. Mas já são 3 derrotas seguidas, e 3 jogos sem marcar.

O Tricolor ainda tenta encontrar sua melhor forma de jogar, depois da chegada de Adriano. Mas vem enfrentando muitas dificuldades, até mesmo nos jogos no Morumbi.

Santos e Corinthians, apesar da expectativa natural existir, só pelo fato de serem grandes clubes, já contavam com certa desconfiança de seus torcedores. Os da baixada pelas muitas baixas (troc) que o time sofreu e que não foram repostas. E os corinthianos, após a queda para série B, viram 14 reforços chegarem e um novo técnico prometendo montar um time forte para voltar a elite.

Não sei a razão, mas por mais que os famosos cavalos paraguaios sejam comuns, esse ano acho que os times do interior não vão perder o gás. Resta saber se os grandes conseguiram se recuperar a tempo.

PS: Hoje é aniversário do gloriosíssimo jornaleiro e amigo João de Andrade Neto. Um dos quatro melhores jornalistas desse blog! Hehe! Parabéns, irmão!