terça-feira, 31 de março de 2009

A cara-de-pau da Globo

É brincadeira! Faz algumas semanas que o Globo Esporte soltou uma matéria sobre o horário dos jogos durante a semana, com torcedores reclamando que não têm como voltar pra casa. Justo. Só que ninguém falou nada sobre quem define os jogos pra "depois da novela": a Rede Globo de Televisão.

À época, deixei a matéria passar. Mas hoje, vendo uma chamada no SPTV, está lá o Thiago Leifert falando que os torcedores do Corinthians reclamam do horário do jogo de hoje porque não conseguem voltar para suas humildes residências.

A cara-de-pau é absurda. A maior responsável por essa estupidez que é o horário dos jogos no meio da semana é a própria Globo, que para não interferir no seu precioso horário da novela, que nem anda mais dando tanta audiência assim, quer mais é que o torcedor se dane.

Aí vem o Leifert me falando que se tivesse jogo às 3h da manhã, teria de ter transporte. Ah, vá fa napoli, né? É óbvio que o transporte paulistano é uma merda, mas tudo tem limite. O jogo acabar perto da meia-noite não significa nada? E o torcedor que tem que trabalhar no dia seguinte às 8h da matina? Ele não pode ir ao estádio por quê?

Sem contar que atleta não tem que estar jogando perto da meia-noite. É lógico que clube nenhum tem a manha de peitar a Globo, majoritária em todos os direitos televisivos futebolísticos do País, mesmo com outras emissoras oferecendo mais grana, mas esse é assunto pra outro post.

O revoltante é que eles vão insistir nesse papo de a culpa é da falta de transporte e não de quem marca o jogo nessa hora ridícula. Vale lembrar que mesmo pra quem volta de carro, e mora, por exemplo, em São Bernardo do Campo, como eu, ou mesmo no Jabaquara, pra continuarmos na mesma cidade, não se chega em casa antes das 1h30!

A verdade é que pra Globo tanto faz ter torcida ou não no estádio. Aliás, é melhor que todos fiquem em casa, vejam na TV aberta, ou paguem o PFC. A graça do futebol, que é ver no estádio, enxergando muito mais que na TV, está sendo expurgada. Os clubes e a TV não respeitam mais o torcedor, querem transformá-lo em consumidor, como se o futebol fosse algo que se consumisse, o entorno pode até ser, mas o jogo em si não. Ou alguém vai reclamar no Procon caso o jogo seja uma bosta?

Querem moldar os torcedores no estilo europeu. Com um bando de sentados, com aplausinhos aqui e acolá. O campeonato inglês é recheado de jogos assim, com torcida cliente, que de fato pouco se importam com o resultado do jogo, é só mais um evento.

5 comentários:

João de Andrade Neto disse...

Seu texto tem razão até certo ponto. A Globo é, sim (obviamente), a responsável pelos horários dos jogos. Mas não é responsável pelos transportes do país, do estado ou da cidade.

Independente do jogo ser às 20h ou às 22h, é imprescindível que haja transporte, ônibus e metrô para locomoção. Independente da existência e manipulação da Globo...

Obede Jr. disse...

Sr. de Andrade, então meu texto tem razão por completo, pq em nenhum momento eu falei que a Globo é responsável pelo transporte!

só quero falar da hipocrisia da Globo, achando q não tem culpa nenhuma nessa história! o transporte é uma merda, mas o jogo acaba tarde independente de ter busão ou não!

é que a gente já tah acostumado, mas esse horário das 22h naum deveria existir, em respeito aos trabalhadores do dia seguinte, oras..

sem mais e naum venha brigar comigo, senão já sabe hehe

Alexandre Forato disse...

É preciso de um braço mais forte da FPF na hora de marcar os jogos. E não deixar se influenciar pela Globo, por uma simples novela. Tá certo que, sem a Globo, boa parte da renda da FPF iria diminuir e muito...rs

Bruno Diniz disse...

"Ou alguém vai reclamar no Procon caso o jogo seja uma bosta?"

Pelo jogo ser uma bosta eu não sei, mas por mudar o mando de campo para Presidente Prudente, ah, isso vão fazer!!! hahahaha

http://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas/2009/04/01/ult59u193440.jhtm

E futebol é negócio! Não tem jeito. Quer queira o torcedor apaixonado ou não.

Obede Jr. disse...

O futebol é o que a pessoa enxerga que é.. eu prefiro ver como paixão e competição.. quem quiser ver como negócio veja, mas que fica bem mais sem graça fica..