terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

O valor de ser o melhor do estado!

A questão do momento no meio futebolístico nacional, como é de costume todo começo de ano é discutir a relevância dos campeonatos estaduais. Após a afirmação do formato de pontos corridos do Campeonato Brasileiro, os torneios dos estados perderam um pouco seu brilho.

Torcidas, clubes, dirigentes e imprensa não veêm a hora do Brasileirão começar e tratam os estaduais como meros preparatórios. O fato da Libertadores e Copa do Brasil serem disputada no primeiro semestre contribuiu para o afastamento do interesse do público nos Paulistas, Cariocas, Mineiros, Gaúchos...

Pois, pra quem não sabe, valorizar a Libertadores é coisa recente, de 1990 pra cá. E eu digo valorizar de verdade. A Copa do Brasil então, iniciada em 1989, demorou para cair no gosto dos torcedores, que agora vislumbram mais do que nunca uma vaguinha para o torneio continental mais importante das Américas.

Analisando friamente, o Paulistão, pegado aqui como exemplo por ser, indiscutivelmente, o mais forte dos campeonatos estaduais, é a quarta força em termos de importância no calendário bretão brasileiro. Ficando à frente apenas da Copa Sul-Americana, que deve ultrapassá-lo em alguns anos, se for trabalhada direito.

Na Europa não existem esses torneios regionais ou estaduais, também pudera, alguns países são menores que estados brasileiros, a Holanda, exemplo, é do tamanho da Vila Mariana (ou seria Vila Madalena? hehe). Ali não funciona. Mas o Brasil é um País continente.

Muitos falam que o nível dos clubes não-grandes, sejam do interior ou não, cai a cada ano. Fato facilmente desmentido quando lembramos da semi-finais do Paulistão passado, onde Guaratinguetá e Ponte Preta ostentavam seus lábaros e bom futebol para todo o estado.

O que mais me incomoda na verdade é o termo usado por alguns jornalistas e até torcedores: Paulistinha. É muita falta de respeito e hipocrisia. Um campeonato tão antigo e tão tradicional não pode ser tão diminuído assim. Principalmente por quem, no ano passado mesmo, o considerava Paulistão. Não quero aqui vangloriar e nem aumentar louros ao torneio paulista, mas se não quiserem aumentar, que tratem como Campeonato Paulista, oras.

Muitos torcedores comemoraram títulos estaduais e acredito que corinthianos gostam de saber que seu time possui o maior número de conquistas. É um campeonato, e como todo campeonato, vale a disputa, vale um caneco que será ostentado nas salas de troféu por aí a fora. Não é só por causa da importância maior para outros torneios que esses campeonatos devem ser tratados no diminutivo. Fica de fora de uma fase final para você ver como cai bem, fica.

E para vocês, ó amigos leitores da Banca, qual a importância do Campeonato Estadual?

4 comentários:

Alexandre disse...

Vejamos! hum! Vou falar só em termos de Paulistão, pois dos outros não acompanho e não tenho tanto interesse, mas os campeonatos estaduais têm uma grande importancia, pelo menos pro torcedor, por ser a oportunidade única de ver uma equipe grande jogar na sua cidade, tais como Mirassol, Bauru e até mesmo a região do ABC, já q nossas equipes não nos representam na elite do brasileiro (agora o Santo André conseguiu a vaga pra Série A, entao é mais uma chance esse ano)

João de Andrade Neto disse...

Claro que o Paulistão é importante e acho que não deve acabar. Sou contra o termo 'Paulistinha' e a forma como, as vezes, ele é menosprezado.

Claro, também, que ele é INFINITAMENTE menos importante que a Libertadores, que é disputada em paralelo. E que a própria Copa do Brasil. Por isso, se algum time do estado consegue algum dos outros títulos, estará automáticamente à frente do campeão paulista.

Acho que o Paulistão é mais legal por sustentar a rivalidade local, trazer os clássicos e preparar os times para as demais competições. Mas é óbvio que se, depois de tudo isso, o time conseguir ser campeão, o torcedor tem que comemorar.

Mas comemorar como um Paulistão e não como um Mundial, como foi a comemoração palmeirense no ano passado. Foi exagerado!

Bruno Diniz disse...

Eu gosto do Paulistão e acho ele mais importante q a tal da Copa do Brasil, por exemplo. A fórmula da copa nacional é legal, mas só vai ter graça quando os times da Libertadores disputarem tb. Pq qual a graça de jogar contra Baraúnas, Trezes, Ipatingas e afins?

No meu CM, quando não disputei a Libertadores, priorizei o estadual. Muito mais difícil de ganhar q a fraca Copa do Brasil.

Obede Jr. disse...

Eu discordo com o Bruno em parte. A Copa do Brasil é mais importante, porque é nacional. Só que eu acho um absurdo os clubes da Libertadores não a disputarem. E eu acho que a graça é enfrenter os Baraúnas, Trezes, Dozes, Ipatingas da vida, e acho que deveria ter mais clubes, a la Copa da França, mesmo que seja só um jogo e tals.. ia ser bem mais legal, eu acho!