quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Raúl não supera nem Nistelrooy

por Antonio Karazumi

No último fim de semana, o atacante Raúl tornou-se o maior artilheiro da história do Real Madrid, ultrapassando o argentino Di Stéfano com os dois gols anotados na vitória sobre o Sporting Gijón, por 4 a 0.

Tal marca, de 309 tentos, atuando pelo time que mais vezes venceu a Copa dos Campeões – nove títulos –, poderia render ao atacante o rótulo de melhor jogador da história do clube merengue. Mas, particularmente, não coloco Raúl nem entre os cinco grandes do Real, longe disso. Reconheço nele um bom jogador, eficiente, mas sem as características de um craque. No próprio time atual, coloco o seu companheiro, Van Nistelrooy, em um patamar superior.

O espanhol ostenta um currículo de destaque no Santiago Bernabeu, que inclui três taças da copa européia, mas ficou marcado por fracassar com a seleção nacional. Com Raúl no elenco, a Fúria amargou péssimas campanhas em mundiais, ganhando o apelido de “amarelona”. E, foi só o atacante sair de ação, que a equipe voltou a triunfar em uma competição importante, a Eurocopa de 2008, depois de 44 anos.

È pouco para ser comparado a Di Stéfano, considerado por muitos argentinos melhor que o compatriota Diego Maradona.

A tendência do principal goleador dos grandes clubes não ser, necessariamente, unanimidade entre os torcedores, se confirma ao analisarmos os matadores das forças paulistas.

No Corinthians, quem lidera a lista é Cláudio Christóvam de Pinho, craque na década de 50, autor de 306 tentos, mas que é menos idolatrado que Rivellino e até Marcelinho Carioca, lembrado freqüentemente pela coleção de títulos ganhos no clube, além do pênalti perdido diante do Palmeiras, nas semifinais da Libertadores de 2000.

O São Paulo teve um artilheiro nato, Serginho Chulapa, que talvez seja mais venerado pelos torcedores santistas, onde ganhou destaque ao marcar o gol do título no Paulista de 1984, contra o Corinthians. Leônidas da Silva, criador da bicicleta, e Raí, comandante do esquadrão de Telê Santana, bicampeão mundial, são superiores a Chulapa.

Recordista de partidas pelo Palmeiras e gênio para os fãs verdes, Ademir da Guia não conseguiu superar os 284 gols de Heitor.

Somente no Santos, o maior goleador é também o melhor da história do time, mas esse dispensa comentários: Pelé.

5 comentários:

Obede Jr. disse...

Post extremamente injusto!
Vocês sabem como é conhecido o Raul na Espanha? Raul Madrid!
O cara só o MAIOR artilheiro da história da Champions.. eu me tornei madrileno por causa dele! Ele jogou demais quando era mais novo e não foi só no Real, mas sim na Espanha, azar o dele não ter nascido nessa nova geração!
Ser o maior goleador da história do maior clube da história não é fácil!
Agora, o que fez o Nistelrooy na vida? Nada!
Ele pode hoje ser melhor, é mais novo, mas nunca teve o faro e a habilidade do grande Raul do fim dos anos 90! No ano que o Vasco perdeu pro Real a final do Mundial, o Raul era o melhor do mundo! Só não venceu por ser espanhol..

Concordo que Di Stéfano, e até o Puskas foram melhores que ele, mas são lendas do futebol, e o Raúl é o terceiro, só porque não há como ultrapássalos, um por ser muitas vezes tido como melhor que o Maradona e o outro que era considerado o melhor jogador da história até existir o Pelé!

Não julguem o Raúl por hoje, mesmo ele ainda sendo um excelente atacante! Só não esqueçam a história..

Minha dupla de ataque de todos os tempos?
Raúl e Sheare..
Sem mais.

Bruno Diniz disse...

Também acho q o Raúl foi muito importante pro Real Madrid, principalmente antes da "Era Galáctica". A dupla q fazia com o Morientes podia não ser de fina técnica, mas assombrava as defesas adversárias.

Hoje, Raúl não é mais o mesmo. Mas nem o Real Madrid é o mesmo. É um jogador q, sem dúvidas, ficará pra sempre na história merengue.

João de Andrade Neto disse...

Quando mais jovem, admirava MUITO o estilo de jogo do Raúl. O que ele conquistou no Real não é nada fácil. Com certeza ele estará na seleção de todos os tempos do clube merengue, pois é um ícone na história.

Compará-lo hoje é maldade. Ele já não está mais no auge de sua forma e perdeu lugar até na seleção espanhola, exatamente quando passaram a ganhar.

É a mesma coisa que comparar o Romário no fim de carreira com o Borges, por exemplo. Nos últimos anos de Romário, seu futebol não era dos melhores. Mas ele jamais deixou de ser Romário!

Steven disse...

Hahaha, que piada o amigo de baixo contou!

Nistelrooy é o segundo maior artilheiro da UCL, sendo que tem menos jogos que o Raúl, bem menos eu diria.

Ruud fez 125 gols pela premier league em 150 partidas! e tem no total de 150 gols pelo Manchester United em 215 jogos!

Nistelrooy foi o responsável pelo esquecimento do Ronaldo fenomeno no PSV e o proprio fenomeno afirmou um dia: "É O MELHOR FINALIZADOR DO MUNDO"

Ruud não é marketing, Ruud É GOL!

Esse Raúl já não brilha há muito tempo, quanto o Nistelrooy chegou em um Real Madrid em jejum da liga espanhola, e com sua chegada foi o grande responsável pelo titulo DIRETAMENTE.

Bruno viana disse...

TA CERTO ACHAR RUUD MELHOR QUE RAUL. ATÉ ACHO QUE O NISTELROOY FICARIA ENTRE OS 3 MELHORES FINALIZADORES QUE VI JOGAR.
INDA AXO MAIS, EM 2003 ERA PRA ELE SER O MELHOR DO MUNDO PELA FIFA.
COMPARANDO COM O RAUL, RUUD SEMPRE FOI O MELHOR, MAS EM QUESTÃO DE HISTORIA, TITULOS, E AMOR PELO CLUBE. RAUL É A CARA DO REAL.
MAS, FALAR QUE A FAMA DA SELEÇÃO ESPANHOLA É POR CAUSA DO RAÚL.
E NÃO O COLOCA-LO ENTRE OS 5 GRANDES JOGADORES.
ISSO CHEGA A SER PECADO.