sexta-feira, 24 de agosto de 2007

Ninguém quer o meia Riquelme. Você quer?

O craque argentino Juan Riquelme ainda está sem clube. Com seu passe ligado ao Villareal, da Espanha, o jogador aguarda por propostas para deixar a equipe espanhola, já que não será aproveitado pelo técnico Manuel Pellegrini.

O Boca Juniors, único clube onde Riquelme realmente conseguiu jogar um bom futebol, parece ser novamente o destino do meia. Em declarações à imprensa argentina, o craque disse que jogaria por 3 anos no clube e receberia apenas durante 2 anos. Ou seja, jogaria o terceiro ano de graça.

Mas tudo não passa de estratégia de Riquelme e de seu empresário, que querem o apoio da torcida na negociação e, assim, assinaríam o novo contrato, com o jogador ganhando cerca de dez vezes mais que o teto salarial argentino.

Essa é a última cartada de Riquelme, já que não há propostas por seu futebol. O Tottenham, clube mediano da Inglaterra, disse que não está interessado no argentino e que as notícias sobre sua contratação não passavam de especulações.

Não há dúvidas que Riquelme é um craque. Um craque do Boca Juniors. É impressionante como o meia não consegue desempenhar o bom futebol nas outras equipes por onde passou, como o Villareal e o Barcelona, ambos da Espanha, e a própria seleção argentina, onde é sempre muito cobrado, mas não brilha como no clube de La Bombonera.

O jogador, inclusive, já declarou mais de uma vez que não pretende mais atuar pela seleção da Argentina, pois diz que sua família (em especial a sua mãe) sofre demais com as críticas ao seu futebol abaixo da média com a camisa 10 dos hermanos.

No final das contas, Riquelme deverá fechar contrato novamente com o Boca Juniors e continuar brilhando por lá. E, apesar da possibilidade de fracasso, caso algum clube brasileiro investisse na contratação do meia, contaria com grande expectativa da torcida e da imprensa.

Não há como prevermos o futuro, mas aqui o meia também faria sucesso, já que não precisa ser nenhum craque para se destacar no futebol brasileiro atual, fadado à saídas precoces de grandes promessas e contratação de jogadores de sucesso, em final de carreira.

3 comentários:

Obede Jr. disse...

O "problema" do Román é que ele é um jogador sul-americano, não que isso seja ruim, mas ele é um típico jogar de Libertadores, campeonato argentino, essas coisas..
Não se encaixa no padrão europeu, como Kaká e tantos outros.. por isso não rende lá fora..
Eu queria ele fácil no Palmeiras, imagina Valdívia e Riquelme? Ninguém seguraria haha
abraaz!

Bruno Diniz disse...

O Riquelme é o Zico dos anos 2000. Só funciona em um time e enm na seleção cara deslança.
É um craque, mas muito acostumado a jogar a Bombonera, assim como o Galinho de Quintino era acostumado a jogar apenas no Maracanã.
Ou ele volta pro Boca ou será mais um ano de fracasso.

Leandro disse...

O grande rei das américas e destruidor de times brasileiros.
Entao ele vai jogar de graça? rs